domingo, 21 de setembro de 2008

GANHE PUBLICAÇÃO COM FOTOS DE MAURREN BISILLIAT

A Empresa das Artes presenteia os internautas do CLICK com dois exemplares da publicação Museu do Folclore Edison Carneiro - Sondagens na Alma do Povo, editado em 2005 (textos em inglês). Para ganhar o seu, responda à pergunta:





Qual
a importância do registro fotográfico para a valorização da cultura e costumes de um povo?







As duas melhores respostas serão premiadas com um exemplar. Valerão as respostas publicadas nos comentários deste post até 17 horas do dia 28 de setembro de 2008.

Participe e boa sorte!
A

13 comentários:

graphe disse...

A literatura descreve com perfeição imaginativa fatos fantásticos da cultura de vários povos, mas já pensaram como seria ver as imagens da catequização dos povos indígenas aqui no Brasil, por exemplo? ou como seria ver a construção de algumas obras primas Incas? então é necessário utilizar todas as formas possíveis para se valorizar a cultura e o costume de qualquer civilização... literatura, fotografia, cinema, pintura.

Bianca de Albuquerque - Fotógrafa disse...

Assim como os registros liiterários, os registros fotograficos mantem vivos tanto a cultura como os costumes de um povo. São uma memória que nao se apaga, daí todo sua importância. Milhares de anos se passam e através dos registros (fotograficos no caso) podemos conhecer parte da cultura de um povo.

www.ricardolima.fot.br disse...

A importancia principal, na minha humilde opinião, é divulgar as "regionalidades". Pequenas, porém maravilhosas, demontrações de identidade e personalidade que permanecem ocultas até o dia em que os registros são revelados e compartilhados. Isso não só identifica um povo, mas também mantém viva sua cultura.

bianka tomie disse...

o registro fotográfico é a gravação do olhar efêmero na memória, o transformando em marco para o entendimento da história...

Mr Marcinho disse...

A importância está sobre tudo num resgate etnográfico e recupera historicamente a importância de um povo em estudos antropológicos. Além da valorização de povos e grupos sociais.

Beto Godoy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beto Godoy disse...

No caso dessas fotos, me pergunte dentro de 20 anos...Mas você sabe como era a festa junina no tempo de mamãe? Puutz.
E agora?
...................................

Quero aproveitar para agradecer pelo livro "entregando o ouro para os mocinhos", pois chegou hoje e é muito bom. Aproveito também para pedir um suporte esqueci minha senha e não consigo entrar no chat do programa, vê se alguém pode me ajudar.
Um abraço.

Fer Forato disse...

A cultura é dinâmica, se altera com o decorrer do tempo, seja por processos "naturais" de mudança seja por processos políticos-econômicos de massificação e industria cultural tão conhecido na contemporaneidade.
Vejo aí uma das facetas do registro fotográfico, através da imagem conseguirmos guardar essas mudanças nas comunidades e manifestações culturais.
Outro ponto é que a fotografia tem a possibilidade de ser o seu olhar registrado sobre determinada ação, grupo, pessoa, etc. E esse "seu olhar" (do fotógrafo) está repleto de subjetividades. Talvez mais rico do que a documentação propriamente dita é a possibilidade de diferentes olhares sobre as mesmas manifestações. Penso de uma forma mais simplória nas inúmeras possibilidades de como os brasileiros, com suas singularidades, vê a singularidade do outro. E isso pode se dar de diversas formas, são possibilidades infinitas que permitem sabermos como uns se relacionam com outros, sob o "espectro" da cultura brasileira.

Ivan Silvestre disse...

A foto valoriza a cultura pois é um universo que não pode ser tocado, é só um sentimento e isso de tão maravilhoso é impossível descrever, é impossível explicar.

Edson Ramos disse...

O registro fotográfico é de extrema importância, não só pelo registro em si, mas também pela discussão e estudos gerados a partir do registro fotográfico, pois hoje vemos (e lemos) as fotografias com o repertório atual, as interpretações desses registros somados à história são o que garantem a manutenção da cultura e costumes, permitindo a sua perpetuação com mais fidelidade às suas raízes.
-------
ps.: passei rápido no estúdio da AllTV no domingo passado e fiquei sabendo que teve aniversário. Quero bolo hein!!! eheheh

Raul Fragoso disse...

Num país onde "ler" e "ver" têm significados - e até prioridades - bastante distintos, o registro fotográfico, além de sua óbvia importância como anteparo documental, ainda é a janela mais convidativa para atrair a curiosidade pelo conhecimento cultural, principalmente nas crianças e jovens.

Tenho um exemplo pessoal recente para sustentar meu comentário:
Tempos atrás, tentei incitar esse tipo de curiosidade nos meus dois sobrinhos adolescentes ao ler uma passagem sobre a "Festa de Reis", tradicional comemoração religiosa que acontece anualmente na minha cidade no interior de São Paulo.
Quando vi que a leitura não havia despertado o interesse nos pequenos, eu mostrei a eles uma pequena coleção de fotografias que documenta as festividades do evento nos últimos 30 anos. Eles ficaram fascinados com as peculiaridades dos rituais e o primor alegórico empenhado por aquele povo agricultor e sofrido, mas que uma vez por ano se confraterniza para manter uma tradição que foi passada pelos seus pais.
Pronto, ali estava aberta uma janela que convidava aqueles jovens a conhecer e, principalmente, participar dos ricos costumes de seu próprio povo.
Complementando o dito popular, neste meu caso uma imagem fez com que mil palavras valessem muito mais.

Edyr disse...

A arte fotografica de Maureen Bisilliat admiravelmente enriquece a pobreza e a cultura brasileira.

edsabino@lambelambe.com

Gabriel Photography disse...

Já nasci um menino forte
Já dei os primeiros passos
Já brinquei de bola
Já pulei corda e joguei peteca
Já fui campeão da escola
Já cresci,e virei fotógrafo....
Foram tantos momentos marcantes em minha vida e nenhum deles foram registrados...
Mais do
que um registro é a alma,a energia que geramos,é o nosso maior e profundo amor pela vida.
Não levamos nada,tudo oque possuimos é apenas um emprétimo,dexemos então nosso registro e nossa marca nesta vida.
Somos todos os povos unidos em busca de sua identidade,somos a máxima criação divina.Registrar não basta ,mas sim experienciar estas culturas,povos e tudo oque nos foi concedido.
VIVA O REGISTRO EM SUA PLENITUDE.